23 de abril, 2024

Reconhecendo o traíra no mercado de trabalho

O traíra é uma figura folclórica presente desde sempre nas relações humanas. Aqui, vamos nos concentrar no traíra do mercado de trabalho, aquele que provavelmente está na mesma sala que você, faz negócios com você e, podendo, vai te ferrar.

Normalmente o traíra completo é aquele que te conhece, mas até então não conhecia o seu trabalho. Depois, aos poucos, ele vai aprendendo sobre você, vai conhecendo as pessoas com as quais você se relaciona, como você fala com elas, quais são as suas limitações… enfim, vamos dar esse crédito ao traíra:

ele aprende bem o que você faz.

A partir de então o traíra começa com suas facetas, e aqui fica a nota, o traíra não está necessariamente ligado no seu salário, algumas vezes ele até ganha mais que você. O traíra quer mesmo é te derrubar.

Mas eu não estou cumprindo com o título deste texto, afinal, como reconhecer o seu “amigo” traíra no mercado de trabalho, vamos a listinha:

* Ele sempre é curioso com coisas que a princípio não lhes dizem respeito como, onde você vai, com quem você fala na conta xis, por que o cliente Y está com você, como você opera, ele gosta dos detalhes.

* Quando o traíra começar a agir terá boas ideias, mas não as dará a você, também não irá diretamente ao seu chefe ou cliente, afinal, isso daria muito na cara, ele deixará a ideia “escapar” em uma furtiva conversa no café, assim, sem querer.

* O traíra também tem todas as respostas para as perguntas que ainda não foram feitas. Por exemplo, como crescer X? O cliente ou chefe, sabem que estamos crescendo Y, mas o traíra tem a resposta para a pergunta não feita e não se sentirá constrangido em apresentá-la.

* Por fim, quando o traíra terminar seu “trabalho” não restará a ele outra coisa a não ser apresentar ao seu chefe ou cliente o resultado da sua ideia sensacional, aquela que salvará a pátria. Claro que ele fará questão que você saiba.

A partir daí a convivência com o traíra ficará comprometida. Não importa quão boa seja a proposta apresentada, ela simplesmente ficará sem sinergia e a culpa é sua! Ele conseguiu.

Lá, magoado e se sentindo traído, estará você, sem implicarar toda a sua força.

Mas, aqui um humilde conselho.
Releve o traíra.

Ele pode ganhar a batalha? Pode! Mas, o traíra não se sustenta, ele é parasita e como tal precisa de um hospedeiro. Em algum momento encontrará alguém não tão ético e, neste momento, o histórico virá à tona. Você pode estar em outras posições, com outros conceitos e buscando outros desafios, mas estará limpo, tendo a certeza de que ofereceu o melhor trabalho para o desafio que lhe foi imposto.

Já o traíra… seguirá desesperadamente em busca de um novo hospedeiro…
Quem sabe, você o coma, o peixe, claro.

____

Me siga no Instagram @edineygiordani

Sobre o colunista

Ediney Giordani

Jornalista, xoxial mídia, blogueiro, podcasteiro, escrevinhador de livros, pagador de promessas e impostos. Chão de Fábrica na KAKOI Comunicação.

Compartilhe

outros conteúdos

Será que é verdade que ser bonzinho é ruim pra nossa vida?
Convite para o homem mais poderoso do mundo conhecido
A amizade, a fidelidade e a semana santa
A importância dos Processos e a rosa
Quem é teu amigo?
E se você ganhar na Mega-Sena hoje?