17 de abril, 2024

Quem é teu amigo?

“Ninguém me ajuda!”.

Tenho certeza que você já ouviu essa frase, ou, vamos ser sinceros, já falou essa frase.

Você abriu um comércio e ele foi mal. Você começou a vender Jequiti e ninguém queria comprar nada. Ficou desempregado e ninguém te ofereceu um emprego de mão beijada. Ficou sem um real no bolso, precisava de um empréstimo de última hora e, adivinha, nada!

Se identificou com alguma dessas situações?
Agora deixa eu inverter:

E você já ajudou alguém?

Deu preferência ao comércio do amigo? Comprou um perfume da amiga? Indicou ou empregou um amigo? Emprestou uma grana na hora que a pessoa mais precisava?

Aí é que está! Somos muito bons em reclamar, mas para ajudar…

A culpa é sempre do outro?

E atenção: é bom fazermos uma adendo: Não estou falando para você fazer ou comprar algo apenas por bondade, isso seria doação. Não. Estou dizendo para você colocar no radar. Dar preferência. Abrir a porta.

Eu, graças a Deus, sempre tive bons amigos e tentei ajudar a todos eles. Não fiz caridade. Não fiz favor. Simplesmente coloquei-os no radar.

Se um dia comecei a apresentar um programa de TV, devo isso ao amigo Tramujas Jr.
Se um dia fiz um programa na TV aberta, devo isso ao amigo Raphael Brambilla.
Se hoje tenho uma empresa de sucesso, devo isso ao amigo Boby.

Poderia passar o dia escrevendo sobre pessoas que me ajudaram. Agradeço muito a Deus por isso.

Mas também tenho muito orgulho de ajudar muitos dos meus amigos. Os colocar como preferência na minha vida.

Mas como isso funciona na prática?

Quero comer uma pizza. Vou dar preferência a pizzaria do meu amigo. Só não pedirei dele se o preço for muito alto e eu não puder pagar ou se a qualidade não for boa. Aí, entra o amigo de verdade, o dia que ele me perguntar, serei sincero.

Preciso comprar cartões de visita. Vou comprar do meu amigo sem orçamento? Não, claro que não. Os vou colocar na pesquisa de preço e se o processo permitir vou dizer pra ele o menor preço que tenho e dar a oportunidade dele cobrir.

E você faz o quê?

Gente, não cai o dedo curtir e compartilhar o post de uma empresa ou iniciativa do amigo. Não vai deixar você mais pobre dirigir 10 minutos a mais para cortar o cabelo no salão da amiga que inaugurou recentemente.

Eu sei. Às vezes não é fácil. Às vezes bate até uma invejinha, mas quando você ajuda os outros só atrai coisas boas para você.

“Ah, mas quando eu tinha o meu comércio esse mesmo amigo não fez isso por mim”.

Primeiro, tua mãe já tinha te contado: você não é todo mundo. Segundo, tem que ver se essa pessoa é mesmo seu amigo. Por fim, não é porque faz ou deixa de fazer algo por você que precisa fazer o mesmo.

Se não puder ajudar com dinheiro, ajuda com incentivo, com likes e compartilhamentos. Comente. Dê estrelas. Depende apenas das suas ações.

Ajudar sempre faz bem. Ajudar os amigos acalenta o coração.

Sobre o colunista

Ediney Giordani

Jornalista, xoxial mídia, blogueiro, podcasteiro, escrevinhador de livros, pagador de promessas e impostos. Chão de Fábrica na KAKOI Comunicação.

Compartilhe

outros conteúdos

Será que é verdade que ser bonzinho é ruim pra nossa vida?
Convite para o homem mais poderoso do mundo conhecido
A amizade, a fidelidade e a semana santa
A importância dos Processos e a rosa
E se você ganhar na Mega-Sena hoje?
Por que João foi demitido e José não?